O QUE É SER FELICITADORA?

O que é ser-se felicitadora

“Um “Felicitator” é uma pessoa que traz felicidade aos outros”

Dr. Seuss, felicitator.

Ser Felicitadora é ser facilitadora da felicidade. É mostrar ao outro o seu próprio potencial, facilitando a descoberta da solução, é ajudá-lo a focar-se naquilo que funciona e de o levar a encontrar a direção para viver o seu melhor possível. A felicidade e a satisfação com a vida estão ao alcance de todos, no entanto, nem sempre o ser humano está desperto para gozar em pleno os momentos de felicidade que brotam na sua vida.

Ser Felicitadora é:

  • Ser facilitadora da felicidade do Cliente que pretende ser protagonista da sua vida;
  • Facilitar de forma positiva, serena e focada o caminho do seu desenvolvimento;
  • Criar o meio ambiente necessário para que o Protagonista seja encorajado, motivado e energizado nas mudanças que pretende efetuar na sua vida;
  • Dar a conhecer o facto de que, para se ser mais feliz, é importante “saborear” uma existência com propósito de vida; sentir que há um significado para a vida no presente e no passado; ter autonomia, ser determinado e independente; promover o seu crescimento pessoal, identificando melhorias de si mesmo ao longo do tempo; cultivar a autoaceitação, possuindo uma atitude positiva na vida; realizar em pleno as oportunidades surgidas no meio circundante; ter a capacidade de criar e manter relacionamentos positivos, através dos é possível a expressão individual. (princípios baseados em BEP, Ryff, Carol 1989);
  • Contribuir com estratégias para lidar com as diversas circunstâncias devidas.

A abordagem da Psicologia Positiva Coaching vai beneficiar o “Eu e o Outro”, na medida em que esta concentra os seus estudos e pesquisas na felicidade, nas emoções positivas e negativas e no bem-estar em geral.  “Se vivermos o suficiente, não há nenhuma vida que esteja desprovida de stress, adversidade ou crise. As possibilidades são infinitas: a morte dum ente querido, uma doença grave, um acidente, a discriminação, um desastre natural, um ataque terrorista, a violência doméstica, a pobreza, um estigma, um divórcio, perder o emprego (Sonja Lyubomirsky, 2011).”

A questão é a de saber como lidar com estas situações. Fazer acontecer em vez de esperar para ver!  Ser o Protagonista Principal da Própria Vida!

error: Conteúdo protegido